A agência propôs duas resoluções para combater o problema.

A partir desta sexta-feira, grávidas, mães, pais, interessada em partos podem opinar em uma consulta pública online realizada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar que pode ajudar a reduzir a "epidemia" de cesarianas realizadas na rede particular de saúde no Brasil.
Autoridades de saúde dizem que a realização de cesáreas aumenta os riscos para a mãe e o bebê. O índice desse tipo de parto chega a 84% em hospitais privados, que atendem majoritariamente pacientes com planos de saúde, enquanto que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde é de 15%. Além disso, cerca de 25% dos óbitos neonatais no país estão relacionados à prematuridade, uma condição que pode vir ligada a uma cesárea desnecessária.
 
A ANS propôs duas resoluções para combater o problema. Uma prevê que a mulher receba um Cartão da Gestante, com dados sobre seu pré-natal para ser apresentado na maternidade, e um Partograma um documento que detalha a evolução do trabalho de parto e as condições da mãe e do bebê.
 
A outra é mais polêmica, já que prevê que os planos sejam obrigados a divulgar a porcentagem de cesáreas e partos normais de médicos e hospitais conveniados.
 
Assim, se a norma for aprovada, qualquer mulher, independentemente de estar grávida ou não, pode ligar para seu plano de saúde para saber que tipo de parto determinado médico ou hospital costumam fazer.
 
Melhor informada sobre o tipo de conduta que o obstetra costuma ter, a grávida teria uma ferramenta a mais para decidir se o que ela espera de seu parto é compatível com aquele profissional.
 
Defensoras dos direitos das mulheres e o Ministério Público, que moveu uma ação cobrando mais medidas da ANS para coibir cesáreas desnecessárias, elogiaram a divulgação da taxa de cesáreas, apesar de acharem que elas são apenas um primeiro passo.
 
Cartão da Gestante
 
Fora a informação sobre a taxa de cesárea, a segunda proposta da ANS prevê que a mulher receba um Cartão da Gestante, com dados sobre seu pré-natal para ser apresentado na maternidade, e um Partograma um documento que detalha a evolução do trabalho de parto e as condições da mãe e do bebê.
 
A ideia é que o Partograma torne mais difícil a realização de cesáreas desnecessárias, já que a equipe médica ligada ao plano de saúde terá de detalhar o porquê de se ter escolhido esse tipo de parto, não mais podendo usar justificativas pouco específicas.
 
Mais informações sobre plano de saúde. Clique aqui.   
#planosdesaude #planosmedicos #conveniosmedicos #saudeokplanosmedicos #planodesaude #plano medico