A companhia enfrenta uma grave crise financeira e fechou 2014 com patrimônio liquido negativo em R$169 milhões.

SÃO PAULO  -  Foi publicada nesta quarta-feira no “Diário Oficial da União” a determinação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) que a Unimed Paulistana, cooperativa médica com 744 mil usuários, terá que transferir em 30 dias a sua carteira de clientes para outra operadora de planos de saúde.
O portfólio, no entanto, não é cobiçado pelas outras operadoras porque mais de 150 mil é de planos individuais, modalidade em que os reajustados são regulados pela ANS. Ainda a rede própria de hospitais, clinicas e laboratórios da Unimed Paulistana continuarão prestando serviços aos usuários.
 
A companhia enfrenta uma grave crise financeira há pelo menos seis anos e fechou 2014 com patrimônio liquido negativo em R$169 milhões. Nas duas ultimas semanas, grandes prestadores de serviços, como a rede D’Or, dona de 30 hospitais como São Luiz e D’Or, e a Dasa, que tem os laboratórios Delboni Auriemo e Lavoisier, romperam contrato com a cooperativa médica.
 
O passivo com os prestadores de serviços é de R400 milhões a R$500 milhões e o debito tributário gira em torno de R$ 1 bilhão, sendo que pouco menos da metade foi renegociado no Refis.Segundo o presidente da Unimed Paulistana, Marcelo Nunes a preferência será dada para a Central Nacional Unimed (CNU) e Federação das Unimeds do Estado de São Paulo (Fesp), mas outras operadoras também podem ficar com a carteira.
 
Segundo comunicado da ANS, a operadora que assumir a carteira Unimed Paulistana deve ter “situação econômico-financeira adequada e manter as condições dos contratos sem prejuízos aos consumidores.
 
Caso não realize a alienação nesse prazo, a ANS fara uma oferta pública para que operadoras interessadas ofereçam propostas de novos contratos aos beneficiários da Unimed Paulistana”.
 
Leia mais sobre plano de saúde. Aqui
 
Fonte da noticia: valor
 
#planosdesaude #planosmedicos #conveniosmedicos #saudeokplanosmedicos #planodesaude #plano medico